Nossos visitantes

30 de mar de 2011

Departamento de Letras inicia especialização em junho

O Curso de Especialização em Teoria e Estudos sobre a Linguagem (CETEL), oferecido pelo Departamento de Letras da UFRN, terá início no dia quatro de junho, com duração de 12 meses.

Período de inscrição: 02 a 13 de maio de 2011, na Secretaria do Departamento de Letras, no horário das 08h às 11h30 e das 14h às 17h30.

O período de seleção será de 16 a 20 de maio próximo. As aulas vão ocorrer aos sábados nos turnos matutino e vespertino. A coordenação do curso é da professora Hozanete Lima e do professor Paulo Henrique Duque.


Outras informações Telefone: (84) 3215-3582

Inauguradas novas instalações do Restaurante Universitário


Restaurante Universitário da UFRN teve suas novas instalações inauguradas nesta segunda-feira, 28, às 18h, pelo reitor José Ivonildo do Rêgo. Na cerimônia, estiveram presentes a vice-reitora, Ângela Paiva cruz, o pró-reitor de Assuntos Estudantis, Rank dos Santos, a diretora do restaurante, Kátia Maria bezerra da Silva, o superintendente de Infraestrutura, Gustavo Coelho, o representante do DCE, Maicon Bruno Souza Silva, além de estudantes e funcionários.

Depois de um longo período fechado para reformas, o Restaurante Universitário volta a funcionar oferecendo mais conforto ao usuário, dentro dos padrões estabelecidos pela Vigilância Sanitária, afirmou o reitor. Essa obra, disse ele, faz parte de um esforço mais amplo que tem transformado a Universidade em um canteiro de obras e a ação na área estudantil tem sido diferenciada. Como exemplo, Ivonildo Rêgo citou a conclusão de residências universitárias em Caicó e Currais Novos e a licitação, em andamento para residência em Santa Cruz.

A política do Governo Federal, afirmou o reitor, não permite que nenhum aluno deixe seu curso por falta de assistência estudantil e essa reforma no RU “simboliza um novo momento na assistência estudantil da UFRN”.

O pró-reitor Rank dos Santos destacou que o restaurante Universitário é muito importante nas universidades públicas, uma vez que oferece um serviço básico e importante que é alimentação para os estudantes. “Estamos entregando à comunidade universitária um restaurante confortável, climatizado, com acesso eletrônico, que diminuirá as filas.

A obra de reestruturação do RU, no valor de R$ 1,357 milhões, com recursos oriundos do REUNI (Programa de Expansão e Reestruturação das Universidades Federais) proporcionará aos usuários do estabelecimento diversas melhorias e mais conforto como, por exemplo, a climatização do ambiente, diminuição no fluxo das filas, ampliação do espaço físico abrangendo os lavabos, refeitório, câmara fria, almoxarifado, cozinha experimental, pátio de descarga, secretaria, vestiários, ambientes diversificados para processamento de alimentos e um palco para atividades culturais.

Atualmente, a Universidade disponibiliza 700 bolsas de auxílio alimentação para os estudantes da Instituição, e além deles, os 490 estudantes residentes que também tem isenção do pagamento das refeições.

25 de mar de 2011

VII SELIMEL - Seminário Nacional sobre Ensino de Língua Materna e Estrangeira e de Literatura



TEMA 2011: Ensino de Língua e Literatura: práticas, estágios e políticas
09 a 12 de agosto de 2011


O primeiro SELIMEL – Seminário Nacional sobre Ensino de Língua Materna e Estrangeira e de Literatura - realizou-se em maio de 1997, trazendo como tema: “Língua materna e estrangeira: descrição e ensino”. Desde então, priorizou discussões que envolvessem ensino e suas especificidades: concepções de Língua; metodologias; espaços presenciais e virtuais de ensino; produção de material didático, entre outros demandados pela instituição escolar; currículos acadêmicos e escolares; e desafios do fazer docente.

Por seu histórico, o SELIMEL tem se consolidado nacionalmente como um evento que promove debates e fomenta outros sobre o ensino de língua e suas literaturas, e agrega, em torno de um objetivo comum, professores pesquisadores de todo o Brasil, professores da educação básica e estudantes de Letras e Pedagogia, em especial.

Em sua sétima edição, a temática “Ensino de Língua e Literatura: práticas, estágios e políticas” objetiva tratar das determinações políticas que orientam o ensino de línguas e suas literaturas, assim como dos impactos que se revelam na formação inicial do professor, especialmente, na etapa de estágio; e nas mais diversas práticas de ensino do cotidiano acadêmico e escolar.

As modalidades de participação do evento incluem:

* Conferência
* Mesas-redondas
* Sessões Coordenadas
* Comunicação em GT
* Comunicação em pôster
* Minicursos


Datas Importantes:
Para inscrições de comunicação nos GTs, sessões coordenadas, minicursos e pôsteres:


Especificações


1ª chamada - 28/02/2011 a 10/04/2011
2ª chamada - 11/04/2011 a 08/05/2011

Divulgação dos trabalhos aprovados - Até 15/05/2011

Pagamento da inscrição - Com carta de aceite – 11/03/2011 a 29/05/2011

Envio do trabalho final para públicação - Até 12/06/2011

VII SELIMEL - Seminário Nacional sobre Ensino de Língua Materna e Estrangeira e de Literatura
informacaoselimel@gmail.com

24 de mar de 2011

“Modelos de Análise da Canção Popular: uma abordagem interdisciplinar”

PROJETO DE PESQUISA

“Modelos de Análise da Canção Popular:
uma abordagem interdisciplinar

(Propesq – PIC6124-2010)

Coord. Prof. Dr. Lauro Meller
meller1974@gmail.com

Chamada para participantes


Projeto de pesquisa que visa mapear os principais viéses de abordagem do gênero canção, tendo em vista ser um campo de investigação relativamente novo, ainda carente de uma metodologia própria e com poucos centros especializados mundo afora. O interesse dos estudiosos da área de Letras pela música popular não significa que chancelamos a posição pela qual se analisam letras de canções como se fossem poemas da série literária; pelo contrário, acreditamos que a canção necessita de modelos próprios de análise, uma vez que, ali, letra e música trabalham cooperativamente. Neste projeto, portanto, convidamos colegas professores e discentes dos cursos de Letras e Música e demais interessados a participar desse processo de discussão, com vistas à publicação de uma coletânea de artigos sobre o tema.


Código:PIC6124-2010

Título:“Modelos de análise da canção popular: uma abordagem interdisciplinar”

Tipo:INTERNO (Projeto Novo)

Categoria: Pesquisa Científica

Situação:EM ANDAMENTO

Unidade:ESCOLA DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA (83.49.01)

Centro:CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS, LETRAS E ARTES (13.00)

Palavra-Chave:Música popular. Canção. Poesia. Literatura comparada.

E-mail:lauromeller@ect.ufrn.br

Edital:Edital 09/2010 - Programa Institucional de Voluntários em Estágio de Iniciação Científica e de Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação - PIVICTI 2011

Cota:PROPESQ-REUNI 2011 (01/01/2011 a 31/12/2011)

Área de Conhecimento:Literatura Comparada

Linha de Pesquisa:Literatura e outros sistemas semióticos

Corpo do Projeto

Resumo

Projeto de pesquisa que visa mapear os principais viéses de abordagem do gênero canção, tendo em vista ser um campo de investigação relativamente novo, ainda carente de uma metodologia própria e com poucos centros especializados mundo afora. O interesse dos estudiosos da área de Letras pela música popular, como atestam as muitas dissertações e teses produzidas nos últimos anos, justifica sediarmos o projeto no CCHLA-UFRN, sem que isso signifique que chancelamos a posição pela qual se analisam letras de canções como se fossem poemas da série literária; pelo contrário, e esta foi a tese defendida em nosso doutoramento na PUC-Minas (2010), acreditamos que a canção necessita de modelos próprios de análise, uma vez que, ali, letra e música trabalham cooperativamente (diferentemente do poema da série literária, ou da música de tradição erudita, que têm espaços de circulação e critérios valorativos distintos daqueles que envolvem a canção). Neste projeto, portanto, convidamos colegas professores e discentes de Letras (e, eventualmente, da Escola de Música da UFRN), a participar desse processo de construção de modelos de análise da canção popular, uma experiência que iniciamos em nosso mestrado (sobre Beatles e Tropicalismo, UFSC, 1998), interesse consolidado no doutorado e confirmado por meio desta proposta.


Introdução/Justificativa
(incluindo os benefícios esperados no processo ensino-aprendizagem e o retorno para os cursos e para os professores da instituição em geral)
Os estudos de música popular têm crescido em escala mundial, nas últimas décadas, graças aos esforços de pioneiros como Simon Frith, Philip Tagg e Richard Middleton, no exterior, e José Miguel Wisnik e Luiz Tatit, no Brasil. Todavia, por ser área de estudos relativamente nova, a música popular enquanto objeto de investigação acadêmica esbarra, ainda, num impasse. Pelo seu caráter híbrido, a canção, composta de letra e música, ao mesmo tempo que desperta o interesse de estudiosos tanto das faculdades de Letras como das de Música, não é objeto específico nem destas, nem daquelas. Assim, enquanto os conservatórios, de orientação erudita, só raramente acolhem a música popular (e com algumas reservas), as faculdades de Letras só ocasionalmente aceitam projetos de teses e dissertações sobre esse tema, a menos que eles assumam um caráter comparatista que contemple, obrigatoriamente, algum corpus estritamente literário. Mesmo assim, por falta de treinamento musical dos estudiosos de Letras, muitas vezes se confere à letra da canção o tratamento de poemas, o que, a nosso ver, é uma abordagem equivocada (cf. nossa tese de doutoramento, em anexo). Aplicar conceitos da teoria da poesia, considerando-se a letra de canção como poema pode resultar numa análise desfavorável desse corpus. Por outro lado, os conceitos da teoria musical tradicional de base europeia, consolidada no século XIX, não abarca toda a série de transformações por que passou a música (principalmente no que se refere aos seus métodos de reprodução), tampouco se ocupa da música popular. Neste projeto, portanto, pretendemos passar em revista os modelos de análise da canção que já foram propostos por vários pesquisadores, elaborando, a partir deles, novos modelos de análise da canção popular, de modo que se contemple sua natureza híbrida, em que letra e música trabalham cooperativamente. A pós-graduação em Estudos da Linguagem da UFRN irá se beneficiar de alguns conhecimentos específicos sobre estudos de música popular que lhes traz este novo componente de seu quadro docente (com mestrado e doutorado na área de Letras, mestrado e doutorado com trabalhos sobre música popular, muitos artigos publicados sobre o tema, como se pode verificar na produção intelectual do SIGAA e CNPq Lattes), ao mesmo tempo músico afiliado à OMB e à IASPM (International Association for the Study of Popular Music). Como desdobramento deste grupo de pesquisa, pretendemos desenvolver disciplinas e orientações naquela Pós-Graduação (PPGEL), o que a increverá no seleto rol de IES que investigam a canção, quebrando um preconceito a nosso ver injustificável, haja vista ser a música popular uma das manifestações mais ricas de nossa cultura e mais efusivamente reverenciadas mundialmente.
Objetivos
• Contribuir para a inserção dos estudos de Música Popular no debate acadêmico, evidenciando a necessidade de se criar um espaço próprio de discussão para esse gênero;
• Investigar os modelos de análise da canção popular já desenvolvidos, aplicando-os ao cancioneiro popular; neste sentido, proceder a uma revisão da literatura sobre estudos de música popular (no Brasil, Augusto de Campos, Affonso Romano de Sant’Anna, Luiz Tatit, José Miguel Wisnik, Solange Ribeiro de Oliveira; no exterior, Simon Frith, Keith Negus, Richard Middleton, Steven Paul Scher, etc.), bem como de análise da poesia (Emil Staiger, Ezra Pound; Massaud Moisés, Alfredo Bosi, Hênio Tavares, Manuel Bandeira, dentre outros), procurando entender quais as particularidades do poema literário e da canção, e como esses gêneros se aproximam e se distanciam; lançaremos mão, outrossim, de escritos sobre a teoria musical tradicional (por exemplo, autores como Sergio Magnani, Roy Bennet, Eduard Hanslick, Imogen Holst).
• Envolver os discentes e docentes do curso de Letras-UFRN, PPgEL-Estudos da Linguagem-UFRN e, possivelmente, da Escola de Música da UFRN, nos estudos de música popular, contribuindo para a consolidação desse campo de estudos;
• Levar os resultados dessas investigações a eventos de âmbito local, regional, nacional e/ou internacional;
• Publicar artigos em revistas especializadas, como forma de estimular a produção intelectual dos participantes do projeto e para conferir visibilidade ao mesmo;
• Lançar, oportunamente, uma coletânea de artigos de autoria dos membros da equipe, como resultado dessas pesquisas.

Metodologia

A pesquisa será eminentemente bibliográfica, de natureza crítico-analítica. Privilegiaremos os escritos dos estudiosos que se dedicam às pesquisas em música popular ou, dito de modo mais preciso, que se debruçam sobre as interrelações entre música e letra. Esses autores quase sempre consideram a canção como entidade indissolúvel de letra e música, uma noção que norteará nossa pesquisa (ao nos perguntarmos, por exemplo, se seria possível promovermos a ruptura desses dois elementos e quais seriam as conseqüências desse processo em termos de valoração estética). Dentre esses pesquisadores, muitos deles oriundos das faculdades de Letras e das Ciências Sociais, deve-se dar relevo aos nomes de Simon Frith e Richard Middleton e, no Brasil, José Miguel Wisnik e Luiz Tatit, além de Solange Ribeiro de Oliveira, que retomou o conceito de melopoética, proposto originalmente por Steven Paul Scher. Consideramos esses autores centrais para que iniciemos nossas investigações, e durante os encontros faremos a exposição de textos previamente acordados (em formato de seminários, com cada aluno responsável por apresentar ao grupo a leitura que lhe fora designada). Outros autores que se dedicam ao tema da música popular, em especial aos modelos de análise desse gênero, poderão ser incluídos e discutidos ao longo do projeto. Aos seminários sobre modelos de análise da canção popular seguir-se-ão aplicações práticas, com a leitura/audição e interpretação de alguns poemas / canções e poemas musicados, levando em conta tanto seus elementos literários quanto musicais.
Referências
ADORNO, Theodor W. O fetichismo na música e a regressão da audição. Trad. Luiz João Baraúna. In: Benjamin, Adorno, Horkheimer, Habermas. São Paulo: Abril Cultural, 1980, p. 165-191.
_____. On popular music. In: FRITH, Simon, GOODWIN, Andrew (eds.). On Record: rock, pop and the written word. New York: Pantheon Books, 1990, p. 301-314.
ALBIM, Ricardo Cravo. O livro de ouro da MPB. Rio de Janeiro: Ediouro, 2003.
AMORA, Antônio Soares. Introdução à Teoria da Literatura. 2.ed. São Paulo: Cultrix, 1973.
ANDRADE, Mário de. Música, doce música. Belo Horizonte: Itatiaia, 2006.
_____. Aspectos da música brasileira. Belo Horizonte: Itatiaia, 1991.
_____. Ensaio sobre a música brasileira. 4.ed. Belo Horizonte: Itatiaia, 2006.
ARAÚJO, Mozart de. A modinha e o lundu no século XVIII. São Paulo: Ricordi, 1963.
ARISTÓTELES. Arte poética. 3.ed. Trad. Eudoro de Souza. Lisboa: Imprensa Nacional / Casa da Moeda, 1992.
BANDEIRA, Manuel. Itinerário de Pasárgada. 5.ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1984.
BARBOSA, Orestes. Chão de estrelas: poesias escolhidas. [S.l.]: J. Ozon, 1965.
BOLLE, Adélia Bezerra de Meneses.(Org.) Chico Buarque: literatura comentada. São Paulo: Abril Educação, 1980.
BOSI, Alfredo. O ser e o tempo da poesia. São Paulo: Cultrix, 1977.
BRACKETT, David. Interpreting popular music. Cambridge (Mass.): Cambridge, 1995.
CAMPOS, Augusto de. Balanço da Bossa e outras bossas. 5.ed. São Paulo: Perspectiva, 1993.
CARMO JÚNIOR, José Roberto do. Da voz aos instrumentos musicais: um estudo seimótico. São Paulo: Annablume, 2005.
CARVALHO, Castelar de, ARAUJO, Antonio Martins de. Noel Rosa: língua e estilo. Rio de Janeiro: Thex Editora, 1999.
CEARENSE, Catullo da Paixão. Modinhas. [S.l.]: Fermata, 1972.
CESAR, Ligia Vieira. Poesia e política nas canções de Bob Dylan e Chico Buarque. São Carlos: Ed. da UFSCar / São Paulo: Estação Liberdade, 1993.
COVACH, John, BOONE, Graeme M. Understanding rock: essays in musical analysis. Oxford: OUP, 1997.
DAGHLIAN, Carlos (org.) Poesia e música. São Paulo: Perspectiva, 1985. (Debates, 195)
DUARTE, Rodrigo. Teoria crítica da indústria cultural. Belo Horizonte: UFMG, 2003.
FRANCHETTI, Paulo Elias Allane, PECORA, Antônio Alcyr Bernardez. (Orgs.) Caetano Veloso: literatura comentada. São Paulo: Abril Educação, 1981.
FRITH, Simon. Performing Rites: on the value of popular music. Cambridge (Mass.): Harvard University Press, 1996.
FRITH, Simon. Sound effects. [S.l.]: Pantheon, 1981.
FRITH, Simon. Music for pleasure: essays in the sociology of pop. New York: Routledge, 1988.
FRITH, Simon, GOODWIN, Andrew (eds.). On Record: rock, pop and the written word. New York: Pantheon Books, 1990.
GÓES, Fred de. (Org.) Gilberto Gil: literatura comentada. São Paulo: Abril Educação, 1982.
HOLST, Imogen. ABC da Música. São Paulo: Martins Fontes, 2002.
JOÃO ANTONIO (Org.). Noel Rosa: literatura comentada. São Paulo: Abril Educação, 1982.
KRAMER, Lawrence. Musical meaning: toward a critical history. [S.l.]: University of California Press, 2001.
LIMA, Edílson de. As Modinhas do Brasil. São Paulo: Edusp, 2001.
MAGNANI, Sérgio. Expressão e comunicação na linguagem da música. Belo Horizonte: Ed. da UFMG, 1996.
MAMMÌ, Lorenzo, NESTROVSKI, Arthur, TATIT, Luiz. Três canções de Tom Jobim. São Paulo: Cosac Naify, 2004.
MÁXIMO, João, DIDIER, Carlos. Noel Rosa – uma biografia. Brasília: LGE / UnB, 1990.
MELLO, Zuza Homem de. A era dos festivais: uma parábola. 3.ed. São Paulo: Ed. 34, 2003.
MENESES, Adélia Bezerra de. Desenho Mágico: poesia e política em Chico Buarque. São Paulo: Hucitec, 1982.
MEYER, Leonard. Emotion and meaning in music. Chicago: University of Chicago Press, 1961.
MIDDLETON, Richard. Studying popular music. [S.l.]: Open University Press, 1990.
MIDDLETON, Richard. Reading pop: approaches to textual analysis in popular music. Oxford: OUP, 2003.
MOISÉS, Massaud. A criação literária: poesia. 9.ed. São Paulo: Cultrix, 1984.
NAPOLITANO, Marcos. História e música: história cultural da música popular. 2.ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2005.
NATTIEZ, Jean-Jacques et al. Semiologia da música. Trad. Mário Vieira de Carvalho. Lisboa: Vega, [s.d.].
NEGUS, Keith. Popular Music in Theory – An Introduction. Middletown: Wesleyan University Press, 1996.
OLIVEIRA, Solange Ribeiro de. Literatura e música. São Paulo: Perspectiva, 2002. (Debates, 278).
PERRONE, Charles. Letras e letras da MPB. Rio de Janeiro: Elo, 1988.
PIAZZA, Tom. Understanding Jazz: ways to listen. New York: Random House, 2005.
PIVA, Luiz. Literatura e música. Brasília: MusiMed, 1990.
POUND, Ezra. ABC da Literatura. 3.ed. Trad. Augusto de Campos, José Paulo Paes. São Paulo: Cultrix, 1977.
RANGEL, Lúcio (org). Coleção Revista da Música Popular. Rio de Janeiro: FUNARTE / Bem-te-vi, 2006.
ROBINSON, Jenefer. Music & Meaning. Cornell: Cornell University Press, 1997.
RODRIGUES, Nelson Antônio Dutra. Estilos literários e letras de música popular. [S.l.]: Arte & Ciência, 2003.
SANDRONI, Carlos. Feitiço decente: transformações do samba no Rio de Janeiro (1917-1933). Rio de Janeiro: JZE / Editora UFRJ, 2001.
SANTAELLA, Lúcia. Convergências: poesia concreta e tropicalismo. São Paulo: Nobel, 1986.
SANT’ANNA, Affonso Romano de. Música popular e moderna poesia brasileira. 4.ed. São Paulo: Landmark, 2004.
SCHER, Steven Paul. Music and text: critical essays. Cambridge (Mass.): Cambridge, 1992.
SHUKER, Roy. Understanding popular music. 2.ed. New York: Routledge, 2001.
SILVA, Anazildo Vasconcelos da. A poética de Chico Buarque: a expressão subjetiva como fundamento da significação. Rio de Janeiro: Sophos, 1974.
SOUZA, Eneida Maria de. Crítica Cult. Belo Horizonte: UFMG, 2002.
SPINA, Segismundo. A lírica trovadoresca: estudo, antologia crítica, glossário. 2.ed. São Paulo: Ed. da Universidade de São Paulo, 1972.
STAIGER, Emil. Conceitos fundamentais da poética. 3.ed. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1997.
STEFANI, Gino. Compreender a música. Trad. Maria Jorge Vilar de Figueiredo. Lisboa: Editorial Presença, 1987.
TATIT, Luiz. Musicando a semiótica: ensaios. São Paulo: Annablume, 1997.
TATIT, Luiz. Semiótica da canção: melodia e letra. São Paulo: Escuta, 1994.
TATIT, Luiz. A canção. São Paulo: Atual, 1986.
TATIT, Luiz. O cancionista: composição de canções no Brasil. 2.ed. São Paulo: EDUSP, 2002.
TATIT, Luiz. O século da canção.Cotia: Ateliê Editorial, 2004.
TATIT, Luiz. Análise semiótica através das letras. São Paulo: Ateliê Editorial, 2001.
TAVARES, Hênio. Teoria Literária. Belo Horizonte: Itatiaia, 2002.
TINHORÃO, José Ramos. Domingos Caldas Barbosa: o poeta da viola, da modinha e do lundu. São Paulo: Ed. 34, 2004.
TINHORÃO, José Ramos. História social da música popular brasileira. São Paulo: Ed. 34, 2005.
TINHORÃO, José Ramos. Pequena história da música popular: da modinha à canção de protesto. Petrópolis: Vozes, 1978.
TINHORÃO, José Ramos. Música popular: um tema em debate. 3.ed. São Paulo: Ed. 34, 1997.
TINHORÃO, José Ramos. A música popular no romance brasileiro: vol. I – Séculos XVIII e XIX. 2.ed. São Paulo: Ed. 34, 2000.
TINHORÃO, José Ramos. A música popular no romance brasileiro: vol. II – Século XX (1ª Parte). São Paulo: Ed. 34, 2000.
TINHORÃO, José Ramos. A música popular no romance brasileiro: vol. III – Século XX (2ª Parte). São Paulo: Ed. 34, 2002.
TINHORÃO, José Ramos. Cultura popular: temas e questões. São Paulo: Ed. 34, 2001.
WICKE, Peter. Rock Music: culture, aesthetics and sociology. Trad. Rachel Fogg. Cambridge: CUP, 1999.
WISNIK, José Miguel. O som e o sentido: uma outra histórias das músicas. São Paulo: Cia. Das Letras, 1989.
WISNIK, José Miguel. Sem receita: ensaios e canções. São Paulo: Publifolha, 2004.


Membros do Projeto

Nome
EDNA MARIA RANGEL DE SA GOMES - DOCENTE - COORDENADOR(A) ADJUNTO(A)
LAURO WANDERLEY MELLER - DOCENTE - COORDENADOR(A)
MARCELA APARECIDA CUCCI SILVESTRE - DOCENTE - COLABORADOR(A)

17 de mar de 2011

Processo Seletivo para Programa de Bolsa Residência Pós-Graduação




MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E DO DESPORTO
UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE
PRÓ-REITORIA DE ASSUNTOS ESTUDANTIS
DEPARTAMENTO DE ASSISTÊNCIA AO ESTUDANTE
PROCESSO SELETIVO DAS BOLSAS DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL
EDITAL Nº 002/2011.1


A Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis – PROAE, através do Departamento de Assistência ao Estudante – DEAE, da Universidade Federal do Rio Grande do Norte - UFRN torna público o calendário de inscrições para o Processo Seletivo dos Programas de Bolsas na modalidade: Bolsa Residência da Pós-Graduação para o semestre 2011.1, destinado aos alunos regularmente matriculados nos cursos de Pós-graduação na modalidade de ensino
presencial (alunos veteranos e alunos ingressantes desta Instituição) no Campus de Natal. O processo seletivo será realizado de acordo com as normas e cronogramas descritos a seguir.

CAPÍTULO I

DOS ALUNOS VETERANOS E INGRESSANTES

1 – DAS INSCRIÇÕES

Os interessados no Programa de Bolsa Residência da Pós-graduação para o semestre 2011.1 deverão solicitar a bolsa VIA SISTEMA, impreterivelmente no período de 16 a 20 de março de 2011 mediante adesão/atualização do Cadastro Único e registro de interesse na referida bolsa pelo SIGAA – www.sigaa.ufrn.br. (Conforme instruções no link: www.sae.ufrn.br)

2 – DA ANÁLISE E JULGAMENTO DOS PEDIDOS DE CONCESSÃO DA BOLSA RESIDÊNCIA DA PÓS-GRADUAÇÃO – NATAL/RN

2.1. O Departamento de Assistência ao Estudante – DEAE se responsabilizará pelo cumprimento dos critérios aprovados pela Resolução nº169/2008 - CONSEPE, bem como pelas informações referentes a prazo para inscrições,entrevistas e divulgação dos resultados.
2.2. No dia 21 de março de 2011 será divulgada a lista dos alunos, inscritos para A Bolsa Residência de Pós-graduação pré-selecionados para a entrevista social e apresentação de documentos comprobatórios.

2.3. As entrevistas sociais e apresentação de documentos serão realizadas no período de 22 a 28 de março de 2011, no DEAE/PROAE conforme lista publicada no mural do DEAE e no site da UFRN no dia 21 de março de 2011.

3 – DA DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS

3.1. O resultado da seleção será publicado no mural do DEAE, no SIGAA e no site www.sae.ufrn.br, nos dia 05 de abril de 2011.

4 – DOS RECURSOS

4.1 Após a divulgação dos resultados, o candidato terá um prazo de 02 (dois)dias úteis para apresentar recurso no Departamento de Assistência ao Estudante – PROAE.

4.2 O resultado dos recursos será divulgado ao aluno presencialmente no DEAE ou pelo seu SIGAA, em um prazo máximo de dez dias após a data em que este procedeu o recurso.

CAPÍTULO II

5 – DAS DISPOSIÇÕES FINAIS

5.1. As comunicações oficiais pertinentes ao Processo Seletivo, inclusive a divulgação dos resultados, serão realizadas no mural do DEAE, pelo SIGAA e pelo site www.sae.ufrn.br, e outros meios de comunicação utilizados pela UFRN.

5.2. Os alunos que não solicitarem a Bolsa Residência da Pós-graduação nos prazos de inscrição estipulados, bem como aqueles inscritos que durante o processo não comparecerem à entrevista para apresentarem todos os documentos solicitados no prazo estabelecido, serão considerados desistentes no resultado do processo de seleção para o exercício de 2011.1.

5.5. A qualquer tempo, o aluno poderá ser excluído do processo seletivo, desde que comprovada qualquer falta de veracidade nas declarações ou irregularidades nos documentos apresentados, independentemente da adoção de medidas administrativas e judiciais cabíveis.

5.6. Os alunos contemplados terão acesso aos benefícios imediatamente após a divulgação dos resultados do processo seletivo, sendo esta seleção válida até o final do semestre letivo de 2011.1.

5.7. Os casos omissos serão resolvidos pela Comissão de Assuntos Estudantis – CAE.

5.8. Este edital entrará em vigor na data de sua publicação.


Natal, 16 de março de 2011.
______________________________
Prof. Ranke dos Santos Silva
Pró-Reitor da PROAE

Alteração da Data de Distribuição do Cartão de Acesso ao RU

Por motivos técnicos e logísticos a distribuição dos cartões de acesso ao Restaurante Universitário, que ocorreria no dia 17 e 18 de março de 2011, foi adiada para as seguintes datas:

Residentes Universitários: Dias 21 e 22 de março de 2011.
Estudantes contemplados com Bolsa Alimentação e auxílio moradia: Dias 24 e 25 de março de 2011.

Local: Restaurante Universitário
Horário: das 9 às 17 horas

Fonte: http://www.sigaa.ufrn.br/sigaa/public/home.jsf;jsessionid=356084D947F684DCF4672B2B1ABE6852.sistemas1bi1

16 de mar de 2011

CARTEIRA DE ESTUDANTE DCE 2011



DCE INFORMA:

Atenção alunos 2011.1

Ainda estamos emitindo as carteiras de estudante do ano de 2010. Sendo necessário que os estudante novos se dirijam até a SEMOB (Secretaria de Mobilidade Urbana), com uma declaração de vínculo ou Atestado de Matrícula para efetuar o seu cadastro na mesma.
Indo assim, até o DCE (Setor I) para solicitar sua carteira de estudante.
A carteira custa 3,75 e sai na hora.


Avisamos ainda que a data prevista para o inicio das confecções das carteiras 2011 é em Abril.

Horário de funcionamento da SEMOB (localizada no bairro da Ribeira) é de Segunda à Sexta das 8:00 às 14:00 hrs.
Horário de funcionamento do DCE é de segunda à Sexta das 8:00 às 21:00 hrs.

Fonte: http://dceufrn.blogspot.com/2011/03/o-dce-informa.html

Atenção Galera!!!

Nos dias 17 e 18 de março de 2011, das 08h00min as 18h00min, no auditório “B” do CCHLA/UFRN, acontecerá o I SEMINÁRIO DE POETAS POTIGUARES, com o tema A ARTE DE PENSAR A POESIA LIVRE. O evento é promovido pela SPVA/RN e as inscrições podem ser feitas através do e-mail: spva_rn@hotmail.com até as 22h00min do dia 16/03/2011. As inscrições aceitas estarão condicionadas ao e-mail de confirmação.
Segue a programação...
17/03/2011

Manhã

08h00 - Credenciamento

09h00 - Abertura

Tema- A GÊNESE DA POESIA LIVRE

Palestrante convidado: Tarcísio Gurgel (escritor, poeta , pesquisador, apresentador e professor do Depto. de Letras/UFRN)


TARDE


Tema: A POESIA LIVRE E SUA RELAÇÃO COM O CORDEL

Convidados: José Acaci (cordelista e professor); José Lucas de Barros ( advogado e pres. da ATRN e AEPP); Eduardo Gosson (advogado e pres. da UNE).

14 de mar de 2011

Inscrição para o Trilhas Potiguares é Prorrogada

As inscrições para o Trilhas Potiguares foi adiada até o dia 01 de abril.

Não deixe de fazer a sua!

Acesse o site da Proex: www.proex.ufrn.br clique em Editais / Editais 2011 e se inscreva!

Cooperativa Cultural lança obra homenageando Clarice Lispector


Nesta quinta-feira, 17, será lançado na Cooperativa Cultural da UFRN o livro “O orvalho áspero de Clarice Lispector” de Mona Lisa Bezerra Teixeira. O evento está marcado para as 18h.
A autora pretende sublinhar dois aspectos da obra de Clarice Lispector: o inti-mista e o social, buscando, principalmente, chamar a atenção da crítica para o segundo, tradicionalmente negligenciado.
Trata-se de uma interpretação que procura revelar o inconsciente político em Clarice Lispector, enfatizando que, ao contrário da recepção que por muito tempo considerou-a intimista e descomprometida com aspectos histórico-sociais, sua obra é estruturada por movimentos de consciência que, na verdade, não indiciam absolutamente o propalado afastamento alienado da problemática.

Fonte: http://www.sistemas.ufrn.br/portalufrn/PT/noticia/5297108

13 de mar de 2011

PROGRAMAÇÃO DO PROF. LUIZ CARLOS TRAVAGLIA

MINICURSO

Leitura: dos recursos linguísticos ao tópico discursivo
DATAà 17 de março de 2011 (5ª. feira)
HORA à 8 às 12h
LOCAL à a ser definido

CONFERÊNCIA

Uma Teoria sobre Categorias de Texto
DATAà 17 de março de 2011 (5ª. feira)
HORA à às 15h
LOCAL à sala 05 da Escola de Ciência e Tecnologia

Profa. Dra. Maria das Graças Soares Rodrigues
Universidade Federal do Rio Grande do Norte - UFRN
Departamento de Letras - DLET
Programa de Pós-graduação em Estudos da Linguagem - PPgEL
00 55 84 9981-1535

Inscrições na Coordenação do Curso de Letras - UFRN

10 de mar de 2011

PALESTRA: “RESTA POUCO A DIZER”: A PÁGINA E O PALCO NA OBRA FINAL DE SAMUEL BECKETT Fábio Rigatto de Souza Andrade

PPGEL - Programa de Pós-Graduação em Estudos da Linguagem oferece:

PALESTRA

“RESTA POUCO A DIZER”: A PÁGINA E O PALCO NA OBRA FINAL DE SAMUEL BECKETT Fábio Rigatto de Souza Andrade

(USP)

DATA: 14 DE MARÇO DE 2011

HORA: 15H

LOCAL: SALA 5 DO ECT/UFRN

1 de mar de 2011

JORGE FERNANDES


Jorge Fernandes de Oliveira, irmão de Sebastião Fernandes, foi precursor do Modernismo no Rio Grande do Norte e ativo participante das discussões literárias em ambientes como o Café Majestic. Amigo de Cascudo, foi conhecido por Mário de Andrade e elogiado por Manuel Bandeira.

Nascimento: 22 de agosto de 1887, em Natal.

Encantamento: 17 de julho 1953, também em Natal.

Características da obra: verso livre, incorporação da linguagem coloquial, ausência de pontuação, onomatopéias, citação de elementos que remetam ao progresso e a modernidade, valorização de fatos cotidianos, traços regionais.

Obra: Contos e troças - Loucuras (1909), em parceria com Ivo Filho;Livro de Poemas com a primeira edição em 1927 e outras edições em: 1970;1997;2007. Também escreveu peças teatrais: Anti-cristo; Céu aberto; Já teve; O brabo; Ave Maria; O aniversário; De joelhos; Desesperada; Pelas grades;

Participação em periódicos: Terra Roxa e outras terras (São Paulo);VERDE (Cataguases, Minas Gerais); Revista de Antropofagia (São Paulo); A Cigarra (Natal/RN)
Links:
http://www.mcc.ufrn.br/portaldamemoria/wordpress/?page_id=887
http://www.antoniomiranda.com.br/poesia_brasis/rio_grande_norte/jorge_fernandes.html
http://www.letras.ufrj.br/ciencialit/terceiramargemonline/numero12/xvii.html

Bibliografia

ARAÚJO, Humberto Hermenegildo de. Modernismo: Anos 20 no Rio Grande do Norte. Natal: EDUFRN, 1995.
________. O lirismo e nos Quintais Pobres. Natal: Fundação José Augusto, 1997.
FERNANDES, Jorge. O viajante no tempo modernista "obra completa?". Maria Lúcia de Amorim gARCIA (org.). natal: RN Econômico, 2009.
PEREIRA, Francisco das Chagas. Leitura de Jorge Fernandes. Natal: Nordeste Gráfica/ Fundação José Augusto, 1985.
Revista Brouhaha - vozes na cultura potiguar. Jorge Fernandes e os 80 anos do Modernismo Potiguar. Natal: Fundação Capitania das Artes, ano III, n. 8, Março/abril 2007, p. 18-33.



Disponível em: http://literaturapotiguar.blogspot.com/

II Feira do Livro Infantil de Fortaleza



A Casa da Prosa, empresa promotora da II Feira do Livro Infantil de Fortaleza que acontecerá de 14 a 17 de Setembro de 2011 convida as editoras do Nordeste para participar como expositoras no referido evento.
Para conhecer o que é oferecido, solicitar a Carta-Convite e o Termo de Compromisso encaminhar um e-mail para: flivrofortaleza@gmail.com.

O prazo final para a conclusão das negociações é 11/03/2011.
Para mais informações sobre a Feira.


Site: http://www.flivrofortaleza.com/
tel.: (85) 3252 33 43.

Aquisição de Material

Calendário da UFRN

Lembramos que, conforme o calendário acadêmico, no dia 01 de março, os sistemas (SIPAC e SIGAA) estarão reabertos para coleta de demandas para aquisição de material informacional para o sistema de bibliotecas da UFRN – Sistema aberto até 31/03 para coleta da demanda espontânea (docentes e discentes) e da coleta do 1º período com base nos planos de curso das disciplinas cadastrados no SIGAA.