Nossos visitantes

24 de mar de 2011

“Modelos de Análise da Canção Popular: uma abordagem interdisciplinar”

PROJETO DE PESQUISA

“Modelos de Análise da Canção Popular:
uma abordagem interdisciplinar

(Propesq – PIC6124-2010)

Coord. Prof. Dr. Lauro Meller
meller1974@gmail.com

Chamada para participantes


Projeto de pesquisa que visa mapear os principais viéses de abordagem do gênero canção, tendo em vista ser um campo de investigação relativamente novo, ainda carente de uma metodologia própria e com poucos centros especializados mundo afora. O interesse dos estudiosos da área de Letras pela música popular não significa que chancelamos a posição pela qual se analisam letras de canções como se fossem poemas da série literária; pelo contrário, acreditamos que a canção necessita de modelos próprios de análise, uma vez que, ali, letra e música trabalham cooperativamente. Neste projeto, portanto, convidamos colegas professores e discentes dos cursos de Letras e Música e demais interessados a participar desse processo de discussão, com vistas à publicação de uma coletânea de artigos sobre o tema.


Código:PIC6124-2010

Título:“Modelos de análise da canção popular: uma abordagem interdisciplinar”

Tipo:INTERNO (Projeto Novo)

Categoria: Pesquisa Científica

Situação:EM ANDAMENTO

Unidade:ESCOLA DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA (83.49.01)

Centro:CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS, LETRAS E ARTES (13.00)

Palavra-Chave:Música popular. Canção. Poesia. Literatura comparada.

E-mail:lauromeller@ect.ufrn.br

Edital:Edital 09/2010 - Programa Institucional de Voluntários em Estágio de Iniciação Científica e de Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação - PIVICTI 2011

Cota:PROPESQ-REUNI 2011 (01/01/2011 a 31/12/2011)

Área de Conhecimento:Literatura Comparada

Linha de Pesquisa:Literatura e outros sistemas semióticos

Corpo do Projeto

Resumo

Projeto de pesquisa que visa mapear os principais viéses de abordagem do gênero canção, tendo em vista ser um campo de investigação relativamente novo, ainda carente de uma metodologia própria e com poucos centros especializados mundo afora. O interesse dos estudiosos da área de Letras pela música popular, como atestam as muitas dissertações e teses produzidas nos últimos anos, justifica sediarmos o projeto no CCHLA-UFRN, sem que isso signifique que chancelamos a posição pela qual se analisam letras de canções como se fossem poemas da série literária; pelo contrário, e esta foi a tese defendida em nosso doutoramento na PUC-Minas (2010), acreditamos que a canção necessita de modelos próprios de análise, uma vez que, ali, letra e música trabalham cooperativamente (diferentemente do poema da série literária, ou da música de tradição erudita, que têm espaços de circulação e critérios valorativos distintos daqueles que envolvem a canção). Neste projeto, portanto, convidamos colegas professores e discentes de Letras (e, eventualmente, da Escola de Música da UFRN), a participar desse processo de construção de modelos de análise da canção popular, uma experiência que iniciamos em nosso mestrado (sobre Beatles e Tropicalismo, UFSC, 1998), interesse consolidado no doutorado e confirmado por meio desta proposta.


Introdução/Justificativa
(incluindo os benefícios esperados no processo ensino-aprendizagem e o retorno para os cursos e para os professores da instituição em geral)
Os estudos de música popular têm crescido em escala mundial, nas últimas décadas, graças aos esforços de pioneiros como Simon Frith, Philip Tagg e Richard Middleton, no exterior, e José Miguel Wisnik e Luiz Tatit, no Brasil. Todavia, por ser área de estudos relativamente nova, a música popular enquanto objeto de investigação acadêmica esbarra, ainda, num impasse. Pelo seu caráter híbrido, a canção, composta de letra e música, ao mesmo tempo que desperta o interesse de estudiosos tanto das faculdades de Letras como das de Música, não é objeto específico nem destas, nem daquelas. Assim, enquanto os conservatórios, de orientação erudita, só raramente acolhem a música popular (e com algumas reservas), as faculdades de Letras só ocasionalmente aceitam projetos de teses e dissertações sobre esse tema, a menos que eles assumam um caráter comparatista que contemple, obrigatoriamente, algum corpus estritamente literário. Mesmo assim, por falta de treinamento musical dos estudiosos de Letras, muitas vezes se confere à letra da canção o tratamento de poemas, o que, a nosso ver, é uma abordagem equivocada (cf. nossa tese de doutoramento, em anexo). Aplicar conceitos da teoria da poesia, considerando-se a letra de canção como poema pode resultar numa análise desfavorável desse corpus. Por outro lado, os conceitos da teoria musical tradicional de base europeia, consolidada no século XIX, não abarca toda a série de transformações por que passou a música (principalmente no que se refere aos seus métodos de reprodução), tampouco se ocupa da música popular. Neste projeto, portanto, pretendemos passar em revista os modelos de análise da canção que já foram propostos por vários pesquisadores, elaborando, a partir deles, novos modelos de análise da canção popular, de modo que se contemple sua natureza híbrida, em que letra e música trabalham cooperativamente. A pós-graduação em Estudos da Linguagem da UFRN irá se beneficiar de alguns conhecimentos específicos sobre estudos de música popular que lhes traz este novo componente de seu quadro docente (com mestrado e doutorado na área de Letras, mestrado e doutorado com trabalhos sobre música popular, muitos artigos publicados sobre o tema, como se pode verificar na produção intelectual do SIGAA e CNPq Lattes), ao mesmo tempo músico afiliado à OMB e à IASPM (International Association for the Study of Popular Music). Como desdobramento deste grupo de pesquisa, pretendemos desenvolver disciplinas e orientações naquela Pós-Graduação (PPGEL), o que a increverá no seleto rol de IES que investigam a canção, quebrando um preconceito a nosso ver injustificável, haja vista ser a música popular uma das manifestações mais ricas de nossa cultura e mais efusivamente reverenciadas mundialmente.
Objetivos
• Contribuir para a inserção dos estudos de Música Popular no debate acadêmico, evidenciando a necessidade de se criar um espaço próprio de discussão para esse gênero;
• Investigar os modelos de análise da canção popular já desenvolvidos, aplicando-os ao cancioneiro popular; neste sentido, proceder a uma revisão da literatura sobre estudos de música popular (no Brasil, Augusto de Campos, Affonso Romano de Sant’Anna, Luiz Tatit, José Miguel Wisnik, Solange Ribeiro de Oliveira; no exterior, Simon Frith, Keith Negus, Richard Middleton, Steven Paul Scher, etc.), bem como de análise da poesia (Emil Staiger, Ezra Pound; Massaud Moisés, Alfredo Bosi, Hênio Tavares, Manuel Bandeira, dentre outros), procurando entender quais as particularidades do poema literário e da canção, e como esses gêneros se aproximam e se distanciam; lançaremos mão, outrossim, de escritos sobre a teoria musical tradicional (por exemplo, autores como Sergio Magnani, Roy Bennet, Eduard Hanslick, Imogen Holst).
• Envolver os discentes e docentes do curso de Letras-UFRN, PPgEL-Estudos da Linguagem-UFRN e, possivelmente, da Escola de Música da UFRN, nos estudos de música popular, contribuindo para a consolidação desse campo de estudos;
• Levar os resultados dessas investigações a eventos de âmbito local, regional, nacional e/ou internacional;
• Publicar artigos em revistas especializadas, como forma de estimular a produção intelectual dos participantes do projeto e para conferir visibilidade ao mesmo;
• Lançar, oportunamente, uma coletânea de artigos de autoria dos membros da equipe, como resultado dessas pesquisas.

Metodologia

A pesquisa será eminentemente bibliográfica, de natureza crítico-analítica. Privilegiaremos os escritos dos estudiosos que se dedicam às pesquisas em música popular ou, dito de modo mais preciso, que se debruçam sobre as interrelações entre música e letra. Esses autores quase sempre consideram a canção como entidade indissolúvel de letra e música, uma noção que norteará nossa pesquisa (ao nos perguntarmos, por exemplo, se seria possível promovermos a ruptura desses dois elementos e quais seriam as conseqüências desse processo em termos de valoração estética). Dentre esses pesquisadores, muitos deles oriundos das faculdades de Letras e das Ciências Sociais, deve-se dar relevo aos nomes de Simon Frith e Richard Middleton e, no Brasil, José Miguel Wisnik e Luiz Tatit, além de Solange Ribeiro de Oliveira, que retomou o conceito de melopoética, proposto originalmente por Steven Paul Scher. Consideramos esses autores centrais para que iniciemos nossas investigações, e durante os encontros faremos a exposição de textos previamente acordados (em formato de seminários, com cada aluno responsável por apresentar ao grupo a leitura que lhe fora designada). Outros autores que se dedicam ao tema da música popular, em especial aos modelos de análise desse gênero, poderão ser incluídos e discutidos ao longo do projeto. Aos seminários sobre modelos de análise da canção popular seguir-se-ão aplicações práticas, com a leitura/audição e interpretação de alguns poemas / canções e poemas musicados, levando em conta tanto seus elementos literários quanto musicais.
Referências
ADORNO, Theodor W. O fetichismo na música e a regressão da audição. Trad. Luiz João Baraúna. In: Benjamin, Adorno, Horkheimer, Habermas. São Paulo: Abril Cultural, 1980, p. 165-191.
_____. On popular music. In: FRITH, Simon, GOODWIN, Andrew (eds.). On Record: rock, pop and the written word. New York: Pantheon Books, 1990, p. 301-314.
ALBIM, Ricardo Cravo. O livro de ouro da MPB. Rio de Janeiro: Ediouro, 2003.
AMORA, Antônio Soares. Introdução à Teoria da Literatura. 2.ed. São Paulo: Cultrix, 1973.
ANDRADE, Mário de. Música, doce música. Belo Horizonte: Itatiaia, 2006.
_____. Aspectos da música brasileira. Belo Horizonte: Itatiaia, 1991.
_____. Ensaio sobre a música brasileira. 4.ed. Belo Horizonte: Itatiaia, 2006.
ARAÚJO, Mozart de. A modinha e o lundu no século XVIII. São Paulo: Ricordi, 1963.
ARISTÓTELES. Arte poética. 3.ed. Trad. Eudoro de Souza. Lisboa: Imprensa Nacional / Casa da Moeda, 1992.
BANDEIRA, Manuel. Itinerário de Pasárgada. 5.ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1984.
BARBOSA, Orestes. Chão de estrelas: poesias escolhidas. [S.l.]: J. Ozon, 1965.
BOLLE, Adélia Bezerra de Meneses.(Org.) Chico Buarque: literatura comentada. São Paulo: Abril Educação, 1980.
BOSI, Alfredo. O ser e o tempo da poesia. São Paulo: Cultrix, 1977.
BRACKETT, David. Interpreting popular music. Cambridge (Mass.): Cambridge, 1995.
CAMPOS, Augusto de. Balanço da Bossa e outras bossas. 5.ed. São Paulo: Perspectiva, 1993.
CARMO JÚNIOR, José Roberto do. Da voz aos instrumentos musicais: um estudo seimótico. São Paulo: Annablume, 2005.
CARVALHO, Castelar de, ARAUJO, Antonio Martins de. Noel Rosa: língua e estilo. Rio de Janeiro: Thex Editora, 1999.
CEARENSE, Catullo da Paixão. Modinhas. [S.l.]: Fermata, 1972.
CESAR, Ligia Vieira. Poesia e política nas canções de Bob Dylan e Chico Buarque. São Carlos: Ed. da UFSCar / São Paulo: Estação Liberdade, 1993.
COVACH, John, BOONE, Graeme M. Understanding rock: essays in musical analysis. Oxford: OUP, 1997.
DAGHLIAN, Carlos (org.) Poesia e música. São Paulo: Perspectiva, 1985. (Debates, 195)
DUARTE, Rodrigo. Teoria crítica da indústria cultural. Belo Horizonte: UFMG, 2003.
FRANCHETTI, Paulo Elias Allane, PECORA, Antônio Alcyr Bernardez. (Orgs.) Caetano Veloso: literatura comentada. São Paulo: Abril Educação, 1981.
FRITH, Simon. Performing Rites: on the value of popular music. Cambridge (Mass.): Harvard University Press, 1996.
FRITH, Simon. Sound effects. [S.l.]: Pantheon, 1981.
FRITH, Simon. Music for pleasure: essays in the sociology of pop. New York: Routledge, 1988.
FRITH, Simon, GOODWIN, Andrew (eds.). On Record: rock, pop and the written word. New York: Pantheon Books, 1990.
GÓES, Fred de. (Org.) Gilberto Gil: literatura comentada. São Paulo: Abril Educação, 1982.
HOLST, Imogen. ABC da Música. São Paulo: Martins Fontes, 2002.
JOÃO ANTONIO (Org.). Noel Rosa: literatura comentada. São Paulo: Abril Educação, 1982.
KRAMER, Lawrence. Musical meaning: toward a critical history. [S.l.]: University of California Press, 2001.
LIMA, Edílson de. As Modinhas do Brasil. São Paulo: Edusp, 2001.
MAGNANI, Sérgio. Expressão e comunicação na linguagem da música. Belo Horizonte: Ed. da UFMG, 1996.
MAMMÌ, Lorenzo, NESTROVSKI, Arthur, TATIT, Luiz. Três canções de Tom Jobim. São Paulo: Cosac Naify, 2004.
MÁXIMO, João, DIDIER, Carlos. Noel Rosa – uma biografia. Brasília: LGE / UnB, 1990.
MELLO, Zuza Homem de. A era dos festivais: uma parábola. 3.ed. São Paulo: Ed. 34, 2003.
MENESES, Adélia Bezerra de. Desenho Mágico: poesia e política em Chico Buarque. São Paulo: Hucitec, 1982.
MEYER, Leonard. Emotion and meaning in music. Chicago: University of Chicago Press, 1961.
MIDDLETON, Richard. Studying popular music. [S.l.]: Open University Press, 1990.
MIDDLETON, Richard. Reading pop: approaches to textual analysis in popular music. Oxford: OUP, 2003.
MOISÉS, Massaud. A criação literária: poesia. 9.ed. São Paulo: Cultrix, 1984.
NAPOLITANO, Marcos. História e música: história cultural da música popular. 2.ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2005.
NATTIEZ, Jean-Jacques et al. Semiologia da música. Trad. Mário Vieira de Carvalho. Lisboa: Vega, [s.d.].
NEGUS, Keith. Popular Music in Theory – An Introduction. Middletown: Wesleyan University Press, 1996.
OLIVEIRA, Solange Ribeiro de. Literatura e música. São Paulo: Perspectiva, 2002. (Debates, 278).
PERRONE, Charles. Letras e letras da MPB. Rio de Janeiro: Elo, 1988.
PIAZZA, Tom. Understanding Jazz: ways to listen. New York: Random House, 2005.
PIVA, Luiz. Literatura e música. Brasília: MusiMed, 1990.
POUND, Ezra. ABC da Literatura. 3.ed. Trad. Augusto de Campos, José Paulo Paes. São Paulo: Cultrix, 1977.
RANGEL, Lúcio (org). Coleção Revista da Música Popular. Rio de Janeiro: FUNARTE / Bem-te-vi, 2006.
ROBINSON, Jenefer. Music & Meaning. Cornell: Cornell University Press, 1997.
RODRIGUES, Nelson Antônio Dutra. Estilos literários e letras de música popular. [S.l.]: Arte & Ciência, 2003.
SANDRONI, Carlos. Feitiço decente: transformações do samba no Rio de Janeiro (1917-1933). Rio de Janeiro: JZE / Editora UFRJ, 2001.
SANTAELLA, Lúcia. Convergências: poesia concreta e tropicalismo. São Paulo: Nobel, 1986.
SANT’ANNA, Affonso Romano de. Música popular e moderna poesia brasileira. 4.ed. São Paulo: Landmark, 2004.
SCHER, Steven Paul. Music and text: critical essays. Cambridge (Mass.): Cambridge, 1992.
SHUKER, Roy. Understanding popular music. 2.ed. New York: Routledge, 2001.
SILVA, Anazildo Vasconcelos da. A poética de Chico Buarque: a expressão subjetiva como fundamento da significação. Rio de Janeiro: Sophos, 1974.
SOUZA, Eneida Maria de. Crítica Cult. Belo Horizonte: UFMG, 2002.
SPINA, Segismundo. A lírica trovadoresca: estudo, antologia crítica, glossário. 2.ed. São Paulo: Ed. da Universidade de São Paulo, 1972.
STAIGER, Emil. Conceitos fundamentais da poética. 3.ed. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1997.
STEFANI, Gino. Compreender a música. Trad. Maria Jorge Vilar de Figueiredo. Lisboa: Editorial Presença, 1987.
TATIT, Luiz. Musicando a semiótica: ensaios. São Paulo: Annablume, 1997.
TATIT, Luiz. Semiótica da canção: melodia e letra. São Paulo: Escuta, 1994.
TATIT, Luiz. A canção. São Paulo: Atual, 1986.
TATIT, Luiz. O cancionista: composição de canções no Brasil. 2.ed. São Paulo: EDUSP, 2002.
TATIT, Luiz. O século da canção.Cotia: Ateliê Editorial, 2004.
TATIT, Luiz. Análise semiótica através das letras. São Paulo: Ateliê Editorial, 2001.
TAVARES, Hênio. Teoria Literária. Belo Horizonte: Itatiaia, 2002.
TINHORÃO, José Ramos. Domingos Caldas Barbosa: o poeta da viola, da modinha e do lundu. São Paulo: Ed. 34, 2004.
TINHORÃO, José Ramos. História social da música popular brasileira. São Paulo: Ed. 34, 2005.
TINHORÃO, José Ramos. Pequena história da música popular: da modinha à canção de protesto. Petrópolis: Vozes, 1978.
TINHORÃO, José Ramos. Música popular: um tema em debate. 3.ed. São Paulo: Ed. 34, 1997.
TINHORÃO, José Ramos. A música popular no romance brasileiro: vol. I – Séculos XVIII e XIX. 2.ed. São Paulo: Ed. 34, 2000.
TINHORÃO, José Ramos. A música popular no romance brasileiro: vol. II – Século XX (1ª Parte). São Paulo: Ed. 34, 2000.
TINHORÃO, José Ramos. A música popular no romance brasileiro: vol. III – Século XX (2ª Parte). São Paulo: Ed. 34, 2002.
TINHORÃO, José Ramos. Cultura popular: temas e questões. São Paulo: Ed. 34, 2001.
WICKE, Peter. Rock Music: culture, aesthetics and sociology. Trad. Rachel Fogg. Cambridge: CUP, 1999.
WISNIK, José Miguel. O som e o sentido: uma outra histórias das músicas. São Paulo: Cia. Das Letras, 1989.
WISNIK, José Miguel. Sem receita: ensaios e canções. São Paulo: Publifolha, 2004.


Membros do Projeto

Nome
EDNA MARIA RANGEL DE SA GOMES - DOCENTE - COORDENADOR(A) ADJUNTO(A)
LAURO WANDERLEY MELLER - DOCENTE - COORDENADOR(A)
MARCELA APARECIDA CUCCI SILVESTRE - DOCENTE - COLABORADOR(A)