Nossos visitantes

5 de abr de 2011

FALE - Fórum Acadêmico de Letras 2011



O FALE é um andarilho. É de muitos lugares. Apesar de o seu nome próprio – FALE – ser um imperativo, em suas andanças, quer reter a grande sangria do já dito que, em muitas situações, amordaça. A obrigação de falar do estudante de Letras, e também de outras áreas, exaustivamente repetida na Universidade através da fórmula “escreva com suas próprias palavras”, sem que se constitua nenhuma discussão sobre o significado dessa expressão, pode muito bem ser uma aterradora forma de silenciamento. De fato, a constituição de um discurso próprio só se faz quando, antes, amordaçamos os imperativos que repelem a diferença. A verdadeira reivindicação do FALE, quando levanta a bandeira da pesquisa na graduação, é a de constituir sentidos novos à ideia de pesquisa. Nos dizeres de Lan Pacheco, “pensar a pesquisa como uma busca, para encontrar algo que faça sentido ou que traga um sentido novo e diferente no meio de inúmeras referências semelhantes”. Não é pouca coisa querer trocar a ideia da ‘exposição’ pela de ‘reflexão’. Não à toa “o FALE é um evento rebelde”, que nasceu nas entranhas do curso de Letras com o intuito de abalá-lo, de revolvê-lo, para que dessas entranhas seja possível escutar a voz do estudante de Letras. Mais que nunca, diante das tantas demandas da Universidade, o imperativo do FALE quer vir acompanhado da responsabilidade de gerar novos sentidos à obrigação da fala.
O FALE, Fórum Acadêmico de Letras, é um evento promovido pela ANPGL, Associação Nacional de Pesquisa na Graduação e Letras, que a cada ano acontece em uma Universidade, tendo como objetivo traçar metas de pesquisa para o aluno da graduação em Letras. Neste ano, realiza-se em parceria com o GEPEC – Grupo de Pesquisa em Poética Brasileira Contemporânea (UNIR Vilhena). O FALE é um espaço para a socialização da pesquisa como processo constitutivo do saber adquirido na Universidade. Desse modo, o Fórum estabelece com a Universidade um caráter de permanente discussão a respeito dos modos de transmissão de conhecimento, tendo como prioridade a inserção do acadêmico desde a graduação no universo da pesquisa. Daí, as conferências e mesas-redondas acontecerem em torno das políticas e experiências de pesquisa. E, nestas, tanto professores como acadêmicos são convidados a traçarem, juntos, planos que fomentem a ideia de produção científica contínua e independente de auxílios. Um dos objetivos principais é acabar com a distinção entre aluno pesquisador e não-pesquisador, de modo que o tripé ensino, pesquisa e extensão seja indissociável na formação do estudante de Letras. No FALE, todas as oficinas são “oficinas de pesquisa”, o que significa dizer que as discussões das áreas passam pela criação e/ou desenvolvimento de um projeto de pesquisa por cada participante.

PROGRAMAÇÃO DO 22º FALE
(A programação ainda pode sofrer alterações)
23 de junho
Manhã
7h30 – Entrega de material
8h – Abertura
10h – Conferência de abertura: “O que querem os estudantes se querem ser professores” – Natalia Verónica García Flores (Tegucipalga – Honduras)

Tarde
14h – Oficinas de pesquisa
16h40 – Sessão de comunicações 1

Noite
19h – Mesa-redonda “Políticas de pesquisa na graduação”
Profª Drª Maria Ivonete Barbosa Tamboril – Pró-reitora PROPESQ (UNIR)
Profª Drª Maria de Lourdes Faria dos Santos Paniago (UFG)
Profª Drª Marinalva Vieira Barbosa (UFTM)

24 de junho
Manhã
8h – Conferência (título a definir)
Profª Drª Yolanda Guillermina López Franco (México)
10h – Mesa-redonda “Experiências discentes de pesquisa na Universidade”
Daiane Duarte Santos (ANPGL-UNEMAT)
Dinalva Barbosa da Silva (UNIR)
Marcelo Dias (USP)
Thaís Carolina da Silva (USP)

Tarde
14h – Oficinas de pesquisa
16h40 – Sessão de comunicações 2

Noite
19h – Conferência (título a definir)
Prof. Dr. Aguinaldo José Gonçalves (UNESP/UNIR)
20h30 – Assembleia da ANPGL
21h30 – Programação cultural
25 de junho
Manhã
8h – Sessão de comunicações 3
9h30 – Mesa-redonda “Experiências docentes de pesquisa na graduação”Prof. Dr. Marcio Renato Pinheiro da Silva (UFRN)
Prof. Dr. Thomas Massao Fairchild (UFPA)
Profª Ms. Vanessa Faria (UNEMAT)

Tarde
14h – Oficinas de pesquisa
16h – Conferência de encerramento “Só se ensina e só se aprende, pesquisando: o papel da pesquisa no ensino de graduação” – Prof. Dr. Antonio Joaquim Severino (USP)
http://www.fale.unir.br/home.html